Saiba o passo a passo para declarar o plano de saúde no Imposto de Renda
Para ajudar você a entender o processo de declaração, nós conversamos com o contador da Unimed Oeste do Pará, Fábio Silva.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
05-04-2018         Categoria: Notícias             Deixe Comentário

Declarar imposto de renda nem sempre é fácil. Para não correr o risco de cair na malha fina por ter feito algo errado ou deixar alguma informação relevante de fora, o ideal é recorrer a um profissional especialista em contabilidade. Só que, ainda que você confie a sua declaração a um contador, é importante saber o que está sendo feito e como isso está sendo feito.

Para ajudar você a entender o processo de declaração, nós conversamos com o contador da Unimed Oeste do Pará, Fábio Silva.

Antes de tudo,você precisa entender o seu perfil de declarante: pessoa física que paga o plano de saúde integral, pessoa física que paga o plano de saúde co-participativo (dividido com a empresa) ou pessoa jurídica, isto é, empresário. 

Se você for uma pessoa física e o seu plano de saúde foi contratado conosco - com pagamento integral ou não, para declarar essa despesa no Imposto de Renda é preciso gerar a declaração de pagamento no site: www.unimedoestedopara.com.br/area_beneficiario.php.

O mesmo vale para empresários que pagam plano de saúde aos seus colaboradores. Só que a declaração é gerada pelo sistema Flex Empresas: http://201.72.36.20:81/empresa/empresa.php.

Depois de entender em qual perfil de declarante você se encaixa, crie um calendário de tarefas junto com o seu contador e acompanhe o passo a passo:

1º passo: organize os documentos

Para iniciar o preenchimento da declaração você deve reunir todos os documentos necessários que serão utilizados. Eles variam de acordo com a fonte de rendimento, veja abaixo:

  • Cédula de Rendimentos
  • Declaração de Plano de Saúde
  • Declaração de Pagamento de Dentista (se for o caso)
  • Declaração de pagamento de educação (se for o caso)

O documento essencial para fazer a declaração é a Cédula de Rendimentos.

2º passo: fique atento aos prazos da Receita

Quando for montar um calendário de tarefas já inclua o período de entrega da declaração. Tendo em mente esse período, é possível se programar para reunir informações e evitar atraso em sua entrega, o que gera multa. O prazo para declarar imposto de renda este ano é 30 de abril de 2018.

3º passo: descubra quais despesas podem ser deduzidas do imposto

Procure entender quais gastos podem ser deduzidos na hora de calcular seu imposto anual.  A base de cálculo do imposto devido no ano-calendário será a diferença entre as somas de todos os rendimentos percebidos, exceto os isentos, os não-tributáveis, os tributáveis exclusivamente na fonte e os sujeitos à tributação definitiva e das deduções relativas a despesas médicas, educação, dependentes, contribuição previdenciária, pensão alimentícia, livro-caixa, previdência complementar.

Também é importante saber que existem incentivos fiscais que permitem a dedução, além da parcela de contribuição patronal paga à Previdência Social pelo empregador doméstico incidente sobre o valor da remuneração do empregado.

Veja a seguir os tipos de gastos que podem ser deduzidos e os gastos que não podem ser abatidos do IR 2018.

DESPESAS MÉDICAS

Neste caso podem ser declarados os pagamentos efetuados, no ano-calendário a médicos, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e hospitais, bem como as despesas com exames laboratoriais, serviços radiológicos, aparelhos ortopédicos e próteses ortopédicas e dentárias.

Dependendo do seu rendimento, a Receita Federal pode deduzir o investimento que você teve com a saúde ou descontar. A dedução das despesas médicas é permitida somente no formato completo da declaração. Se você escolher pelo modelo simplificado, não pode fazer nenhum abatimento porque é concedido um desconto de 20% sobre a base de cálculo do imposto — limitado ao valor de 16.754,34 reais— que substitui todas as deduções.

Por isso, é preferível informar todos os gastos dedutíveis no modelo completo, onde as despesas médicas são declaradas para reduzir o valor sobre o qual é aplicado o imposto. Na declaração simplificada o programa da declaração calcula a base de cálculo e desconta apenas 20% sobre ela, deixando de observar especificamente quais gastos foram realizados no ano e que podem ter ultrapassado esse porcentual.

Se você teve despesas médicas além do pagamento da mensalidade do plano de saúde, é necessário ter recibos, comprovantes e notas fiscais com o nome, endereço e CPF ou CNPJ de quem recebeu os pagamentos.

Importante saber: quando finalizar o preenchimento da declaração, o programa da Receita informará automaticamente se seria melhor abater as despesas uma a uma no modelo completo ou se você ganha mais com o desconto simplificado.

Despesas de instrução - pagamentos de despesas com instrução do contribuinte e de seus dependentes até a quantia de R$ 3.561,50, para cada um

Dependentes -  quantia, por dependente, de R$ 2.275,08 para cada um.

Contribuição previdenciária oficial - contribuições para a Previdência Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios

Pensão alimentícia - importâncias pagas a título de pensão alimentícia em face das normas do Direito de Família.

Livro Caixa - despesas escrituradas no Livro Caixa, para trabalhadores não assalariados

Previdência complementar        contribuições para as entidades fechadas de previdência complementar, limitada a 12% do rendimento tributável.

4º passo: preenchimento da declaração

É importante que cada ficha/dado da declaração seja corretamente preenchida com base nos informes e documentos juntados.

Havendo dúvidas no preenchimento, é possível consultar o Manual de “Ajuda” do programa do Imposto de Renda, na parte ‘Perguntas e Respostas da DIRPF’, além de consultar profissionais especializados.

5º passo: planejamento tributário e transmissão da declaração

Após o preenchimento adequado da declaração, surge o momento do planejamento tributário. Ou seja, é hora de analisar se compensa mais a apresentação com a opção da tributação de forma completa (utilizando as deduções legais) ou de forma simplificada (optando pelo desconto simplificado).

Outro ponto importante é simular se compensa entregar a declaração dos cônjuges, em conjunto ou de forma individual.

Em relação aos dependentes, como sabemos, devemos informar os rendimentos que eles auferem. Também é preciso verificar se compensa informar um dependente que tem rendimentos.

Observe a evolução patrimonial, o valor a pagar do imposto e a quantidade de cotas, ou o valor a restituir.

Com essas breves informações, o contribuinte terá condições de elaborar a sua declaração com cuidado e atenção, deixando remota a possibilidade de “cair” na malha fina.

-------

Você precisa de um orçamento de Plano de Saúde? Clique aqui e solicite, é rápido e fácil! 


 
Comentários
 


Voltar
 
 
 
 
 
Categorias:
Saúde
Receitas
Planos de Saúde
Notícias
Esporte
Doenças
Bem Estar
Atualizações
Alimentação
 
Últimas Postagens
                   
 
 
 
 
 
 

 

Trav. Dom Amando, 911, Santa Clara, Santarém - PA CEP: 68005-420 Telefone: (93) 2101-9000 Fax: (93) 2101-9007 Copyright 2018. Todos os direitos reservados